Depois que conheci o caminho para as praias de Dublin eu passei a fazer questão de, agora durante o verão, pelo menos uma vez na semana ir ver o mar.
Mas no último domingo a visita à praia foi diferente. Eram 8 da noite e nós, eu e Marcele, estávamos na sala de estar quando sentimos que mesmo já sendo um pouco tarde precisávamos ir pra algum lugar.
Pegamos o primeiro ônibus, ele ia pra Howth, e no meio do trajeto decidimos que desceríamos ali mesmo, no meio do caminho. Estávamos na baia de Malahide.
A Marcele é uma das minhas amigas fotógrafas que eu conheci aqui, nós estávamos completamente sozinhas fotografando quando uma mulher pareceu nos pedindo ajuda para fazer uma foto. A nossa resposta para a para a pergunta foi sem dúvidas um sorriso acompanhado de um “Você pediu para as pessoas certas! Nós somos fotógrafas!” cheio de entusiasmo. Era possível sentir a emoção nos olhos dela em frente à aquele show da natureza, mas não sabíamos que aquela emoção vinha além do degradê de laranja e cor de rosa pintado no céu que refletia na água.

Com o celular daquela moça (que nós não sabemos o nome até hoje) em mãos a foto pronta para ser feita, logo descobrimos que estavámos participado de um momento muito especial. A mãe dela havia falecido alguns dias atrás e ela havia vindo de New York em busca do lugar e do momento perfeito para jogar as cinzas no mar Irlandês. Sua mãe era apaixonada pela Irlanda e o seu sonho era fazer uma viagem e vir até aqui. E então a sua filha o fez.
“So yes mom… Now you are in Ireland!” – Ela disse enquanto a cidade parecia fazer um minuto de silêncio em homenagem a aquele momento tão intimo em busca de paz que nós e a natureza estávamos juntos presenciando.

Coisas como essas acontecem comigo sempre, não importa onde eu esteja. No destino final ou no meio do caminho. E a cada vez tenho ainda mais certeza de que a vida é uma grande missão e só quem está entregue consegue cumpri-la.  A missão naquele dia era estar naquele lugar para ajudar aquela mulher a registrar da melhor forma um momento importante na vida e na eternidade dela e da mãe.
Eu voltei para casa no último ônibus de volta para a cidade meio anestesiada com tudo aquilo que havia acontecido e ao mesmo tempo meio boba com a intensidade da sintonia da vida que eu levo aqui.
A harmonia é tão grande que as vezes sem querer, enquanto eu realizo o meu sonho eu acabo contribuindo com a realização do sonho dos outros também.

5web

4web

6web

2goproweb

7web

13web

11web

19webcollage1web5goproweb

21web

24web

29web

30web

O momento que fez o nosso dia :)))

31web

É incrível como a fotografia está sempre, de alguma forma, me fazendo viajar. Me conectando com o mundo e com pessoas. É incrível e ao mesmo tempo lindo.

Felicidade é mesmo um fim de tarde olhando o mar :’)


Deixe Sua Opinião



Deixe sua opinião












domingo, 19 de junho de 2016.

OMG! Que Deus continue te abençoando e que a fotografia lhe leve ao infinito e além!


domingo, 19 de junho de 2016.

Uau! Estou emocionada <3


segunda-feira, 20 de junho de 2016.

Mais uma linda e emocioante história …


segunda-feira, 20 de junho de 2016.

Chorei de emoção, linda história de amor, entre mãe e filha!


segunda-feira, 20 de junho de 2016.

Lindas imagens para receber o resto de uma vida.


terça-feira, 21 de junho de 2016.

Lindo demais!


terça-feira, 21 de junho de 2016.

Que lugar lindo Emile!! Eu amo seus relatos, você conta as histórias de uma forma tão bonita que pra mim nem precisava de imagem (mas continue flodando o blog de fotos lindas porquê eu amo <3)

http://www.meuolharmagico.com


sexta-feira, 1 de julho de 2016.

Que sintonia perfeita, foi realmente um momento mágico. As fotos são de tirar o fôlego ♥
http://www.desencana.com

Comentários no Facebook