Quis levar vocês comigo para o meu lugar favorito aqui em Dublin e aí resolvi gravar um video!

Assistam, se inscrevam ou se preferirem, venham me visitar ♥

 

 

Vinte e quatro horas não é tempo suficiente para formar uma opinião sobre algo a ponto de ter credibilidade para fazer uma sólida recomendação e mesmo que eu me sinta assim, eu preciso deixar registrado que embora a Bélgica esteja longe de estar entre os meus lugares favoritos no mundo, Bruxelas é sem dúvidas, um destino que você precisa visitar se estiver fazendo um mochilão pela Europa.

Bruxelas nunca esteve na minha Bucket List e eu acabei indo parar lá por acaso. A cidadezinha estava no meio do meu trajeto entre a minha viagem da França para Holanda e pelo valor da passagem que me levaria pra Bélgica ser tão atrativo e conveniente, eu resolvi embarcar nessa e ir explorar.

Eu fiz a viagem de Paris até Bruxelas de ônibus durante a noite, custou por volta de 6 euros (sim!) e durou cerca de 4 horas que foram bem aproveitadas enquanto eu dormia em uma poltrona mais confortável do que uma poltrona de avião e o meu celular carregava na entrada USB que tinha do meu lado.

(Se você quiser comprar uma passagem dessas, é só acessar o site do Flixbus clicando aqui)

Como a Bélgica acabou sendo uma espécie de ”destino surpresa”, assim que cheguei lá pela manhã não tinha muita idéia do que fazer. Não havia feito muitas pesquisas sobre a história do lugar e por isso não sabia muito bem o que toda aquela beleza explicita naquela arquitetura deslumbrante representava. Foi aí que eu resolvi me juntar a um Free Tour guiado por um Mexicano querido e que eu tive o meu dia em Bruxelas salvo.

Free tour é algo que eu recomendo pra todo mundo que viaja independentemente do destino. Normalmente os guias são estudantes de turismo que fazem o que fazem por paixão. Eles mudam a nossa forma de olhar para o que está ao nosso redor e muitas vezes nos levam a lugares e nos contam curiosidades que talvez sozinho nós nunca descobririamos.

Andei por cerca de duas horas e meia pela cidade acompanhada de um grupo de pessoas de diversos lugares do mundo e por mais que a cidade tenha uma arquitetura inacreditável, a minha parte favorita de Bruxelas foi a comida. Eu fui de Belgium Frites, Chocolate Belga, passando por Waffles com frutas até um copo de cerveja na Delirium Café em apenas 24 horas.

The Royal Palace

Primeira comida tipica Belga que eu provei: Belgian Frites

The Grand Place de dia

Esse é o lugar principal –e na minha opinião mais lindo–  da cidade. Cada um desses prédios (tortinhos)  era usado com um propósito diferente por mercadores e feirantes.

Restaurantes da Rua Bouchers

Um fato muito interessante sobre essa rua é que os vários garçons ficam todos do lado de fora do restaurante tentando atrair clientes. Esses garçons são todos poliglotas e eles tentam adivinhar a tua nacionalidade através da tua aparência pra te convencer a entrar no restaurante na tua lingua!

Manneken pis

A Bélgica certamente tem algum negócio com estatuas de coisas/pessoas/animais mijando, elas estão por toda a cidade e o Manneken Pis é a mais famosa delas. Reza a lenda que esse menino tentou ajudar a cidade durante um grande incêndio fazendo pipi nas chamas

Lojas de Chocolate

Na Bélgica o Willy Wonka passaria vergonha. Lojas de chocolate estão por toda cidade e na maioria das vezes eles não custam muito caro

Les Galeries Royales de St Hubert

Waffle Belga

The Grand Place de noite

Delirium Café 

Cerveja Belga

(e meu amigo Bruno no fundo)

Se você começou a ler o texto e chegou até aqui se perguntando por quais motivos a Bélgica não está entre os meus lugares favoritos no mundo eu te conto: Os Belgas são trilingues, eles tem 3 línguas oficiais e aparentemente não são muito simpáticos em nenhuma delas. Mesmo nos lugares mais turísticos, nas lojas e restaurantes mais chiques os atendentes não faziam muita questão de ajudar. Todo tipo de contato que eu tive com o pessoal local eu senti como se eles estivessem sendo obrigados a nos prestar um grande favor.

Motivos pelos quais mesmo assim eu preciso voltar pelo menos mais uma vez na Bélgica: não comi tanto chocolate quanto gostaria e eu preciso mudar essa estranha impressão que eu tive desse país.

Justo né?!

Um dia de folga e a vontade de conhecer um pouco mais da cidade onde a gente mora foi o que nos fez pegar a estrada e ir pra Howth.

Localizada a uns quarenta minutos do centro da capital, Howth é um Vilarejo que faz parte de Dublin. A região é bem pequena e por isso surpreende quando o assunto é diversidade de atividades deliciosas pra fazer.

Por ser uma região de pescadores a ”atração principal” da região é o Porto. A maioria dos visitantes vai até o Vilarejo para caminhar pelo pier (e admirar os barquinhos!), visitar o farol e comer, já que é possível encontrar várias opções de restaurantes aconchegantes com comidas bem fresquinhas e por um preço bem diferente do que se encontra nas regiões centrais da cidade pelas redondezas.

Mas não só de pescadores é composta Howth. Pequenos produtores e comerciantes dominam o comércio e fazem a alegria de quem gosta de comidinhas orgânicas e naturais. Semanalmente eles apresentam seus produtos que são, muitas vezes, 100% Irlandeses e feitos a mão em uma feirinha muito bem estruturada e localizada.  E foi justamente isso que a gente acabou fazendo a maior parte do nosso tempo por lá. Experimentando novos sabores e tirando novas fotos para preencher os porta retratos de casa.

7web

3w

2w

5w

10w

12web

22web

15web

72w

56w

58w

65w

67w

68w

69w

76w

79w

80w

81w

82w

83w

86w

19web

20web

23w

24w

28w

31web

35w

36w

40w

44w

45w

50w

73w

74w

O que você achou desse passeio? Deu vontade de visitar também? Escreva aí nos comentários! A caixa de comentários via Facebook está de volta : )

Para acompanhar o meu dia a dia pela Irlanda, clique > aqui < e me siga no Instagram